quarta-feira, 18 de março de 2009

Pronome Feminino

por Keissy Carvelli

Eu nunca soube não amar.

Amar, pra mim,

poeta de lágrimas

e risadas sarcásticas,

É brilhar os olhos

E hormônios.

É sorrir e gozar,

Tremer e suar

Sob o sol, lua, luar.


Eu nunca soube não amar

Com as mãos e coxas.

Com um suspiro

A cada porção de desejos.

Eu nunca soube amar sensata,

Sem dias, só madrugadas,

Poesia ou sonata.


Amor pra mim

Tem perfumes, estantes e discos.


Amor é toque

que foge da pele

E invade a carne;

Um toque dos sorrisos

sem antes sentir a pele.

Um toque de olhos fechados

e braços distantes,

De subjetivo, verbo, ação.


Amor pra mim,

poeta de lágrimas

e risadas sarcásticas,

São três suspiros

para cada segundo

do beijo.


2 comentários:

Tatiana Lazzarotto disse...

os três últimos versos foram perfeitos para a definição de amar.

murmuriospessoais disse...

LINDO. *.*