terça-feira, 14 de outubro de 2008

Tuesday morning

por Keissy Carvelli

Eu devo dizer que gostar me machuca. Não sei se pela intensidade ou se pelas impossibilidades. O excesso dói, seja lá do que for.
Mas eu tenho um amor, desses que ri quando falo, que beija quando eu calo. O meu amor é desses que compra cigarro, café e sorrisos, coloca tudo numa caixinha e me entrega escondido. O meu amor não chora a despedida.
Eu não escolhi, não se pode apontar o dedo e dizer "vai ser meu amor", perde o encanto, a curiosdade. Não houve escolha, quando abrimos os olhos a bebida já não existia entre uma boca e a outra.
O meu amor sai cedo, roda o dia, completa o meu dia. Troca de lado, suspira alto, fecha a porta, dorme em mim. Sorri sem os olhos, sorri pelo canto, pelo meio, sorri em mim.
Não se faz amor com prosa, verso, poema, canção. Não se faz amor escondido sem paixão. Não se faz qualquer besteira escrita pela manhã sem saudade, vontade, princípio de exaustão.
Não se faz dia assim sem teu beijo, seu aceno, teu abraço.Não se faz saudade sem você.
Eu tenho um desses amores na pele, nos olhos, nas letras e melodias.

Um comentário:

dica disse...

ahn,

que coisa mais LINDA :)
amei