quinta-feira, 12 de junho de 2008

Só por esta noite

por Keissy Carvelli

Começo só
Um verso triste
De amor e solidão
Sem lágrimas,
Mas que o peito
Sabe que existe.

Começo só
A idéia de um refrão
Quando a madrugada chega
Sutil e derradeira
E já se faz inteira
Junto dela, imperfeita perfeição.

Começo só
Em teus braços distantes
E tuas nuvens tão brancas
Que me jogam pro céu
Feito menina-mulher
De olhos claros,
Desatados, e brilhantes.

Fecho os olhos só
Em pensamento os teus traços,
Em saudade teus encantos,
Tuas gírias, teus desmanchos.

Adormeço só
Para te sonhar mais perto,
Sorrir teu riso incerto,
Provar teu beijo concreto
Que minha boca sente
A cada lua, ou sem luar.

Começo só
O último suspiro de paixão,
O primeiro instante de oração
Para que corram os dias
Mais de pressa que a minha saudade
Pode chegar.

Começo só
Para te fazer tão minha
Antes que o sol me jogue ao chão.
Começo só
Para te falar do amor
Que escorre dos meus tão teus lábios mudos,
Antes que a mágica cesse
E se finde a escuridão.

10 comentários:

Anônimo disse...

tá aqui.

Nana Jiló disse...

muito bom.
o que você escreve por aqui, muito bom mesmo, moça.

Jéssica V. Amâncio disse...

quanta solidão transformada em poesia.
se isso for crise criativa também quero um pouco !
rs

bah disse...

lindo lindo lindo.
realmente era tudo que eu precisava ler agora.

GustavoFL disse...

escrevendo bem, sempre.

Carolina disse...

q bonito!

Rosa disse...

eu penso, seriamente, em te pedir em casamento.

[final de semestre ta foda. mas logo apareço]

Anônimo disse...

ela vai casar comigo.
com ponto.
hahahaha.
né?

murmuriospessoais disse...

ai ai, vc fica cada dia melhor brincando comas palavras, sabia?

ow, TENHO que te apresentar um livro que vc vai AMAR!

bjks

Natália disse...

típico de um 12 de junho!

ai ai.

linda XD